Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

30 Comentários

O caso Jóbson: problema ou solução?

O caso Jóbson: problema ou solução?

É possível tratar uma hemorragia interna com esparadrapo?
Não é preciso ser médico para concluir que a terapia ideal é outra.
O esparadrapo apenas esconde a ferida externa e em nada trata a causa ou a doença.

Tratar sintomas e aliviar a dor são opções de tratamento que podem trazer alívio momentâneo, mas não resolvem o problema do paciente.
Por instantes aliviar a dor dá satisfação. Se a causa da dor não for tratada, a dor volta e pode ser ainda mais forte.

O Atlético não precisa esclarecer os motivos que levaram Jóbson a não treinar.
A direção age com seus atletas da forma que julga ser a melhor para o momento e para a imagem do clube.
Entretanto, Jóbson não deve se escudar na conduta da direção.
Ter a palavra oficial do clube do seu lado pode mascarar a verdadeira doença, o que em nada ajuda no tratamento correto.

Jóbson é um atleta e já é motivo de vergonha para qualquer atleta estar acima do peso e se ver envolvido em fofocas sobre seu comportamento fora de campo.
A condição de atleta de Jóbson está doente, comprometida.
A hemorragia de Jóbson deve ser encarada por ele como uma doença.
Se esconder por trás de um sorriso tímido e de respostas ensaiadas, podem trazer alívio momentâneo.
Ver a imprensa sair sem respostas pode dar a Jóbson a satisfação de um anti-inflamatório.
No entanto, a origem do problema não é tratado com o fechamento dos portões da Cidade do Galo e mais um dia de silêncio.

Jóbson é mais visto como problema que como solução.
Você contrataria um jogador para resolver seus problemas de ataque, mas não traria um jogador gerador de problemas para a imagem do clube.
Jóbson pode ser útil e até pode se tornar um exemplo, mas hoje é problema.

O final da história ninguém ainda sabe, entretanto, o enredo me leva a crer que o desfecho não terá heróis e parece não estar tão longe.

[related_posts_by_tax posts_per_page="4"]
  • Danilo Salmito

    É triste ver que esse rapaz teima em jogar fora as oportunidades que recebe. Sou botafoguense e torço por um milagre, mudança de comportamento.

    • Mário Marra

      Fala, Danilo.
      Eu também gostaria muito de acreditar nele, mas não consigo mais.
      É preciso que ele dê um passo e ele não consegue.
      Seria uma história linda de superação.
      Vamos torcer.
      Abração

  • luiz gustavo c vieira

    O Galo tem que continuar, se tiver atrasos do jogador, descontando dinheiro dele p/ caixinha dos jogadores, nao afasta-lo, mas po-lo p/ jogar, claro primeiro como reserva,agora caso ele nao jogue bem, ai que é o importante p/ tomar decisao com ele,

    • Mário Marra

      Fala, Luiz!
      A questão não é salarial.
      Existe um desgaste com o grupo de jogadores também.
      A coisa é bastante complexa.
      Abração

      • luiz gustavo c vieira

        oi Mario Marra, Parabens pelas cronicas, eu descobri agora e vou ver sempre.
        Quanto ao Jobson, eu nao veja muito misterio com outros jogadores, pois ninguem ta nem ai p/ vida particular dele, vai ter problema sim se o Jobson pisar na bola e a diretoria e Dorival passar a mao na cabeça.Mas se ele nao tiver” tratamento especial” da chefia, fica tudo bem.
        Abs

  • Tales Rabelo

    Fala Marra.

    Sou atleticano e moro em São Paulo.

    Pelo número de comentários nos posts antigos, acho que você deveria falar mais do galo.
    Acho que a minha preocupação não é o Jóbson, que não vai render nada. Mas o Neto Berola, que incendeia os jogos, mas não aguenta jogar dois tempos.
    Acho que, se o Tardelli voltar a jogar bem, e o Réver (melhor zagueiro do Brasil disparado)arrumar um bom companheiro de zaga, só vai dar GALO em 2011!

    Marra, vc tem que falar mais do GALO na CBN, não deixe se influenciar pelo Juca, que é contra o GALO!
    aBS,
    tALES

    • Mário Marra

      Fala, Tales!
      O problema é que não tenho conseguido acompanhar como gostaria.
      Leio, vejo e ouço todos os dias o que posso sobre Atlético, Cruzeiro e América, mas o contato diário e as conversas eu não tenho conseguido manter´.
      Não se engane.
      Nem vi o Juca em 2011 e ele não tem nada contra o Galo, pelo contrário.
      Abração

      • Tales Rabelo

        Realmente Marra,
        Mudando para SP o foco muda bastante, é natural.
        Estava brincando. Realmente, concordo com você que com Réver, Leo Silva, Richarlyson, Diego Souza, Mancini, Neto Berola e Diego Tardelli, o melhor a esperar é escapar do rebaixamento.
        Abraço,
        Tales

        • Mário Marra

          Bom , Tales.
          Acho que o time não corre o menor risco.
          O que pode atrapalhar é se Dorival perder o comando.
          E acho que Jóbson pode complicar.
          Abração

          • Tales Rabelo

            Parabéns pelo seu trabalho, Marra.
            Acho que você está enriquecendo a imprensa esportiva de São Paulo com opiniões mais embasadas e menos bairristas sobre os times daqui e os do resto do País.
            Não acredito que o Jóbson vá destruir o elenco do Galo. Ou melhor, tomara que não.
            Vamos continuar sofrendo com o alvinegro,.,
            Abração.

          • Mário Marra

            Valeu, Tales!
            Obrigadão pela força.
            Abração

  • Dale Robetson

    O que parece faltar neste rapaz é o rumo da familia.Quando da desistencia do Cruzeiro,em entrevista a Radio Itatiaia,a mãe dele disse +/- assim. “se o Cruzeiro não quer,outro vai querer,o meu filho não usa o que disseram”.Claramente de pouca intrução,se percebia no tom de voz que a mãe do rapaz,involuntariamente,dentro da sua ignorancia e instito de proteção materna,antes de punir o filho,se preocupava em isenta-lo de qualquer culpa.Com certeza defendendo-o sem o conhecimento da fraqueza do filho.

    • Mário Marra

      Olá, Dale!
      A questão é bem mais social mesmo.
      O problema é que também os times precisam ver atitude do ser humano e ele não mostra tanta vontade assim.
      É difícil, muito difícil.
      Abraço

  • Juliano Campera

    Olá Mário,

    De tudo que já li sobre o caso Jobson e vários casos similares, você foi o primeiro que abordou de forma correta o problema. Concordo plenamente com você, pois a grande parte das pessoas usam muitos antinflamatórios e nem pensam em passar, as vezes, por um “processo cirúrgico” e uma recuperação a longo prazo. Parabéns pelo seu texto…

    • Mário Marra

      Fala, Juliano!
      Valeu, cara.
      Obrigadão pela força.
      Abração

  • Lucas

    Fala Marra

    Cara , ja come;o a achar que o problema desse mane e igual ao do mane (garrincha)…alcolismo…assim como o Adriano passou.
    O tal Crack de bola tava numa famosa casa noturna ate tarde (ou cedo , para ser mais correto) tirando foto com torcedor e tudo enxugando todas…desse jeito ninguem trabalha.o cara tem que escolher a marvada ou o trabalho.Sair ate vai mas tem que maneirar no alcool ,senao num acorda mesmo.Sem falar no estado que deve ter chegado no treino (se nem conseguiu acordar devia estar acabado)
    Ve se consegue acompanhar mais o futebol mineiro ,apesar da necessidade de saber de tudo e de todos , pois nos mineiros sentimos falta da sua coerente opniao sobre minas…

    Abra;o sucesso ai com os arrogantes…paciencia

    • Mário Marra

      Fala, Lucas!
      Obrigado pela força.
      Já me falaram mesmo que ele estava lá.
      Ele não tomou consciência do que ele representa e de o que pode representar a última chance dele.
      Tenho acompanhado, mas sinto falta dio contato diário e da apuração cara a cara.
      Chego lá. Vou conseguir.
      Abração

  • Watson Harlei

    Olá companheiro.

    Será que eu entendi seu comentário.
    O Jobson não está curado do vício nas drogas?
    O Atletico está escondendo isto da torcida?

    • Mário Marra

      Fala, Watson!
      Não sei se está curado, o que sei é que o comportamento indica problemas.
      Abração

  • Álvaro Pinheiro

    Mário, lembra quando te perguntei por que muitos (inclusive você) escalavam o Jóbson de titular no lugar do Obina?
    Você me respondeu que o Obina não tinha o perfil que o Dorival queria, aquela coisa toda, e baseado nisso vi o Obina sair pouco depois.
    Meu questionamento era o seguinte:
    por que a torcida adora um jogador problemático que nunca fez nada pelo clube? Que jogou TÃO POUCO em alto nível, que a maioria sequer viu jogar 2 ou 3 partidas.
    Creio que dar moral ao jóbson, é o caminho errado. Mesmo que ele correspondesse é um atleta que caso encaixasse bem no time ainda assim iria trazer prejuízo, pois seria levado pela futura punição.
    Não sei o que o Dorival quer com esse cara, mas se for um jogador pra correr, que utilize o Berola. Não chuta tão bem, mas ao menos é um jogador de futebol.
    Enquanto isso jóbson vive cercado de “amigos” e imprensa que o levam a crer que ele pode ser um grande jogador de futebol, enquanto mal sabe ele que precisaria antes ser homem o suficiente para chegar a tal.
    Abraço.

    • Mário Marra

      Você tem razão, Álvaro.
      O Jóbson é muito bom, mas não tem o básico.
      Ano passado vi o Jóbson jogar muito contra o Palmeiras e a imagem é de um jogador técnico e muito rápido.
      Entretanto, fica muito claro, que ele precisa se cuidar.
      Abraço,

      Mário Marra

  • Claudinei Souza

    Olá, Mário!
    O Galo tem a fama de recuperar jogadores que, de algum modo, estejam passando por um mau momento na carreira ou mesmo desacreditados pelo pouco rendimento em campo.
    O Kalil deu um voto de confiança ao Jóbson. Claro, respaldado pelo Dorival. Não foi informado aqui na imprensa mineira qual o motivo do atleta ter se atrasado no coletivo e a sua não escalação. A resposta é sempre de ordem médica, de contusão ou outros afins da profissão. Na gandaia, à noite, não ouvi nenhum comentário. A torcida está na patrulha, mas quando se quer fazer algo errado, quatro paredes escondem as fraquezas e mantém o anonimato das ações.
    Espero que ele reconheça o seu valor quanto pessoa e se reabilite, indiferente da camisa que esteja vestindo. O cara é “novo” mas já errou bastante ao se influenciar pelo poder destrutivo das drogas. Torço para que ele se encontre e volte a ser um atleta profissional, como deve ser.
    Um abraço, grande amigo.

    • Mário Marra

      Fala, Claudinei!
      Ele já deve ter percebido que vai ter de buscar o espaço dele.
      Se não se empenhar, vai dançar.
      Você não ouviu nada dele na noite, mas eu já ouvi.
      Abração

  • Allysson Oliveira

    Marra,

    seu ótimo post é de 08/02.

    Hoje, 21/02 como está o caso Jobson ???

    Porque ninguém fala nada ????

    Preocupante.

    Da mesma forma o caso Diego Souza também preocupa.

    O que vc tem apurado ou ouvido nos últimos dias sobre eles?

    Abraços

    • Mário Marra

      E nada de ver o cara em campo.
      Acho que as coisas estão acontecendo nos bastidores.
      Sei que Dorival já pontuou que sem físico bom não entra em campo.
      Abração

  • Allysson Oliveira – Goiânia

    Caro Marra,

    bem que você poderia cobrar honorários por previsões acertadas, várias delas.

    No fim do seu post sobre o Jobson você foi profético.

    Depois de jogar duas chances de ouro fora no Botafogo ele teve uma terceira chance sendo emprestado ao Galo.

    Deveria ter se empenhado para fazer um grande ano e recuperar seu prestígio no futebol e melhorar como ser humano.

    Não fez nem uma coisa nem outra, jogou outra chance pela janela.

    Agora, depois de deixar o Galo ele não será reintegrado no Bota e seu destino parace ser o Bahia.

    Com todo o respeito que o Bahia merece mas o rapaz segue descendo a ladeira.

    No Botafogo voltaram a falar em dependência química.

    Só posso ficar triste com a notícia e lamentar por esse rapaz, mais um jogador com grande potencial que parece não querer ser grande.

    E no dia 21 de junho ele será julgado de novo, podendo ficar afastado do futebol um ano.

    Uma pena mesmo.

    Abraços Marra.

    • Mário Marra

      É, Allysson.
      É triste, mas acho que se ele não se tratar, vai padecer ao vivo em rede nacional.
      Abraço

  • http://cds valdomiro luiz da silva.

    conpanheiro vc/ estar indo muito longe. o erro é humano
    ele estar com chense de se recuperar, e só não pode continuar
    no erro. se o bahia não fosse time nordestino talvez
    o jobson seria mais elogiado.
    valdomiro luiz da silva. ilhéus bahia.

    • Mário Marra

      Caro Valdomiro, você pega um texto de fevereiro e um texto que explora mais uma das muitas indisciplinas do Jóbson para destilar outros venenos.
      Em fevereiro, o Jóbson não estava em um time do nordeste, como você sugere.
      Torço muito para que ele se torne um exemplo de superação e faltando treinamento ele não se torna exemplo.
      Se você, Valdomiro, me permite, gostaria de destacar que Jóbson não precisa de regionalismos e nem de misericórdia.
      Um tratamento resolveria muito mais.
      Pergunte ao Fahel, que novamente está com Jóbson, o que ele passou com ele.

  • Allysson Oliveira

    Marra,

    nada como o tempo.

    Hoje acho que além dos problemas pessoais do Jobson existia o fator Dorival.

    O Jobson tem jogado e feito belos gols pelo Bahia.

    Não sei se ele se recuperou, mas que está jogando bola está.

    Assim como o Diego Souza no Vasco.

    Agradeçamos todos ao senhor Dorival….

    Abraços